Versículos BíblicosEvangelho Dominical
 
 
 
 
 

67. FAKE: O Papa Francisco cancela a Bíblia

Ler do Início
27.08.2020 | 4 minutos de leitura
Fique Firme
Diversos
67. FAKE: O Papa Francisco cancela a Bíblia

Essa notícia provém dos EUA. Existe uma rede internacional de arqui-conservadores que fazem tudo para acabar com o Papa Francisco. Trata-se de católicos ligados ao famoso Bannon (que anteontem foi preso nos EUA por causa de fraudes com o muro de seu amigo Trump contra os imigrantes mexicanos), mas também outros, inclusive protestantes conservadores que apoiam essa turma. Porque o que lhes interessa não é a fé, mas a conservação de seus costumes e posições.


Assim eles aproveitam a coisa mais comum do mundo: as contínuas adaptações da linguagem da Bíblia, isto é, das traduções da Bíblia em linguagem atual. Pois com a linguagem original, de 2000-4000 anos atrás, evidentemente não podem mexer. Os americanos arqui-conservadores leem a Bíblia no inglês do século XVII (a tradução de King James), que nenhum jovem entende, e os velhos tampouco... A mesma coisa acontece em outras regiões.


Se o Papa anuncia uma tradução da Bíblia 2000, essa notícia deve ser bastante velha. Suponho que se refere a uma edição a ser lançada por volta do ano 2000, assim como os evangélicos (batistas) no Brasil lançaram a tradução Almeida Século XXI, para atualizar a Almeida Revisada e Atualizada dos anos 1950...


Os arqui-conservadores aproveitaram também o fato de o Papa pedir uma tradução mais fiel ao original no Pai-Nosso, onde a tradução italiana, baseada no texto latino (que não é o original) dizia “não nos introduzas em tentação”, dando a impressão de que Deus causasse a tentação. Pensando essa frase no aramaico, língua de Jesus (mas infelizmente não conservada por escrito) a frase deve ter soado “não deixes que entremos na tentação”, significando que pedimos a proteção de Deus contra a tentação (como o português já traduzia “não nos deixes cair em tentação”). Pois bem, essa mudança da tradução (não da Bíblia) desencadeou toda uma tempestade, “o Papa mudou a Bíblia” etc.


E o Papa teria dito que é melhor não ler certos trechos da Bíblia... É possível, pois tem certas páginas do Antigo Testamento que não são para crianças de hoje! Na minha juventude, a Bíblia que estava na biblioteca do seminário tinha as páginas do Cântico do Cânticos coladas... Interessante é que os “fundamentalistas” gostam de pegar textos do Antigo Testamento (isto é, do antigo judaísmo, que Jesus criticou), para defender coisas que o Novo Testamento (a parte “cristã” da Bíblia) abandonou ou corrigiu.


A Bíblia não é mágica. Ela deve ser compreendida cuidadosamente, como qualquer livro antigo, e para isso precisa da ajuda de quem a estudou, por exemplo, o padre (se ele aproveitou seus estudos). Não é preciso ler a Bíblia toda. Jesus também não a leu, e o que ouviu dela (partes do Antigo Testamento) muitas vezes corrigiu (“Foi dito assim... mas eu vos digo...”). A parte mais valiosa da Bíblia, os Evangelhos, que contêm a pregação de Jesus, é também a mais transparente e por isso é lida domingo após domingo na missa e explicada na homilia (espera-se).


Só para ilustrar a ofensiva dos arqui-conservadores contra o Papa: Recebi um vídeo acusando o Papa Francisco de ter inventado a Covid para criar um novo tipo “global” de seres humanos. Não sei se aqueles que fabricaram esse fake news tinham medo de que todos os humanos iam ser argentinos...


As redes sociais são um grande perigo, desinformam mais do que informam, e nem todas as pessoas têm suficiente conhecimento geral para poder distinguir entre o trigo e a cizânia. Aconselho verificar os possíveis fake news em jornais sérios como O Estado ou a Folha de São Paulo, ou buscar na internet um dos diversos sites que denunciam essas mentiras, por exemplo: https://pleno.news/e-fake.







Artigo anterior:    66. Quando governa um malvado, o povo geme