Versículos BíblicosEvangelho Dominical
 
 
 
 
 

27. Buraco na horta

Ler do Início
29.08.2014 | 2 minutos de leitura
Fique Firme
Para Meditar
27. Buraco na horta

Era uma vez um sujeito grã-fino que, cansado de morar na cidade, decidiu comprar um sítio e mudar-se para a roça. Estava cansado do corre-corre da cidade grande, com seus problemas sem solução, e decidiu experimentar uma vida diferente, em contato com a natureza.


Vendeu seu apartamento, ajuntou as malas e foi morar num recanto tranquilo, distante do barulho e da poluição. Estava feliz.


Sua primeira iniciativa, agora como fazendeiro, foi plantar uma horta. Preparou o terreno, lançou as sementes e ficou acompanhando satisfeito o desenrolar das coisas.


Uma manhã, indo visitar a horta, o grã-fino deu de cara com uma novidade: havia um buraco em sua horta. Um buraco cavado no chão, nem grande, nem pequeno. Mas profundo e misterioso. E bem em cima do canteiro de cenoura.


Ele não se preocupou tanto. Pegou a enxada, cavou, colocou terra no buraco, socou e tapou tudo, dando o caso por encerrado. E saiu pensando: “Vai ver que também aqui na roça há gente que invade o quintal dos outros. Um ladrão de terra, talvez”.


No dia seguinte, havia dois buracos na horta. O primeiro tinha sido reaberto e surgira outro, agora no canteiro de batatas. O aprendiz de fazendeiro ficou intrigado, sem entender o que acontecia. Mas cavou a terra e tapou os dois buracos, refazendo os canteiros. E saiu feliz, certo de que resolvera os problemas. Pensava consigo: “Alguém está brincando comigo. Quer me assustar”.


Na manhã do novo dia, o fazendeiro da cidade levantou-se cedinho e foi direto à horta. Quase caiu de susto ao perceber, não mais um ou dois buracos, mas muitos. Todos os canteiros estavam revirados e havia buracos por toda a parte. E eram buracos sempre de tamanho semelhante que iam dar sabe Deus lá onde.


O grã-fino entrou em pânico. Já não sabia o que fazer. Que seriam aqueles buracos? Coisa do outro mundo? Presença de extraterrestres? Abalos sísmicos? Perseguição dos vizinhos? Algum dinossauro que voltara à vida?


Já disposto a voltar para a cidade, o grã-fino foi contar a história para seu vizinho. O vizinho foi verificar os buracos misteriosos e constatou surpreso: “É tatu, compadre. Não precisa se mudar. É só matar o bicho que os buracos somem.”







Para meditar anterior:    26. Céu e Inferno

Próximo para meditar:  28. O jornaleiro mal humorado